29/04/2012

Fique em silêncio ...



Se quiser ficar... 

Se você quer ficar 
Por favor, não use mentiras. 
Há tempos nosso amor anda a deriva 
Prolongando o adeus. 

Esta em seus olhos 
Esta em minha alma 
A certeza que fizemos 
Tudo o que podíamos 

Mais a vida é assim 
Uma passagem 
Que se eterniza 
Através dos momentos 

São eles que vão permanecer 

A gente também pode 
Começar do zero 
Se ainda existir amor 
Vamos sobreviver 

Mais nesse momento 
Deixe apenas o silêncio 
Falar por nós 

Se você quer ficar 
Simplesmente fique em silêncio. 
Nesse momento ele vale mais.
(Rosi Alves)

Posso colher alguns ramos de flores



Posso colher alguns ramos de flores
Para enfeitar tua casa
E também tua alma.
Preciso apenas
Que me permitas ficar
Não tenha medo
Nem sempre é dor.
Existem na vida fases
Que necessitamos
De desilusões...
Por que quando o amor chegar
Ele te traz uma força
Que nada, eu disse nada.
Pode fazer você chorar

Venha vamos aquecer
Um ao outro
Por todos os nossos dias
Amando sem medida
Até que os traços
Em nossa face
Entregue o quanto fomos felizes

Venha, permitas que eu fique.
Eu vou, te fazer feliz
Aceite alguns ramos de flores
(Rosi Alves)

28/04/2012

O amor brilha diante de nós, eu sei.



Tira o silêncio do meu coração.
Entenda que o amor acontece apenas uma vez
Ensina-me ao menos a não sentir tua ausência
A não ser mais espera

Quero reconhecer as flores
Sentir o canto dos pássaros
 Necessito ter minha vida de volta

Quero olhar-me no espelho
E reconhecer minha face
Ver brilho do meu olhar
E ter orgulho de mim

Guia-me na estrada do teu sorriso
Vem amor, faz festa em meu coração.
Se fosse apenas paixão não estaria aqui
Consumindo meus dias

Vamos fazer uma prece
A todos os deuses
Que a paz esteja em nós
Que nada venha impedir nosso amor

Não sei bem o que é
Existe uma força
Atormentando
Mais nunca...
Nunca será maior que nosso amor.

Chegue no outono
Vamos colher as folhas
Que estão se renovando

Nosso amor possui
Todas as cores
Eu sei!
Existe diante de nós
Um céu todo azul

Ninguém poderá dizer que é o fim
O amor ainda brilha dentro de nós

O amor ainda brilha, eu sei.
Diante do céu
Das flores
Do canto dos pássaros
Do outono que se  renova
O amor brilha diante de nós, eu sei.
(Rosi Alves)

Primaveras...

                                                                          
Há um jardim
Que encanta minhas noites
Um ébrio de tempestades
A enlouquecer meu corpo

A uma lucidez profana
Que me devora a alma
Enquanto a gente se ama

Surge assim... Rosas!
A perfumar nossos lençóis
Ao sentir o hálito quente
Nasce em mim todas as primaveras.
(Rosi Alves)


No cair da tarde, geme os arvoredos.
Por entre a chuva da indiferença
Com lagrimas doce a saciar a sede
Da saudade que alimenta os espaços vazios

Nesse momento vive em mim
A alma do mundo
Alguns segredos

Há uma infinita espera
Exijo do tempo
Que ao menos não apaguem
Nossos momentos de amor
Pois são eles que constroem
A esperança de você voltar.
(Rosi Alves)

Esse amor...

Choras entre o ventre da noite
Todas as tuas ilusões
Toda saudade

Lagrimas perdida
Latente a desenhar a dor

Transforma em lembranças
O amor que me alimenta
Que sustenta as minhas horas

Numa caricia profunda
A vida foge, esquiva-se.
Enquanto tentas
Silenciar minha alma
Que grita com urgência
Esse amor...
(Rosi Alves)

A gente sobrevive toda vez que o amor vier...


Feche os olhos, ele chega como um sonho, no íntimo, a gente sempre sabe que é amor...
E a gente sempre sobrevive.
Como aquele vento a tocar as flores, por sobre à proa, na polpa dos meus pensamentos...
O amor é assim, ainda inventa viagens, ri sem motivo, ergue-se sob a ribeira no fluir das horas.

O amor, que é das canções, do delírio, onde hão de estar? Está nos versos dos poetas, trazidos nos olhares da alma. Agora lavados pela saudade ainda soberana, a acariciar o tempo, a comprimir o coração. Há restos de amor em mim, penetrando lentamente...Mesmo que traga saudades e faça doer à gente sobrevive toda vez que o amor vier.
(Rosi Alves)

27/04/2012

Surpreendi-me a ouvir-te cantar.



Há tanto tempo
Não via
As luzes azuis
Que vão do céu
Ao chão
Em uma fração
A rasgar a janela
Do meu submundo
Em direção do vento

Só para os ver
Lavei o coração com mel
Retirei os lumes
Que me segavam

Nas marés
Os barcos se perdem
E as águas, fala-me por gestos.
Surpreendi-me a ouvir-te cantar.
(Rosi Alves)

25/04/2012

Um só firmamento...


Quero pousar sobre as águas
Forrar o céu de girassóis

E ser céu, mar e flor.
Apenas um só firmamento.
(Rosi Alves)

Chove Dentro de mim...



Chove Dentro de mim...


Ouço chover dentro de mim.
Uma cinza paisagem colore os olhos
Essa chuva fria, pálida, nostálgica.
Procuro arrancar de dentro de mim
Essas tintas que colorem a minha dor.
Mudando os passos
Por algum momento
Pude ver além da chuva.
E é como se uma música entoasse
Em cada pingo que caia
Tudo ficou mais leve
Até que as nuvens sorriram
Talvez elas sempre estivessem ali
Escondendo as estrelas pra noite
Era eu que chovia de dentro de mim.

Rosi Alves

24/04/2012

Amar,amar sempre...


Amar,amar sempre...

Chegaste em minha vida
Trazendo dias de sol
As margens de mim
Fez-se anoitecer
Para tecer estrelas
E embriagar-me de amor.

E lá dentro do seu olhar me perdi
Já não há mais noção dos dias
Talvez seja o céu em nós
Ou apenas ilusão...

Prefiro remendar o inegável
Desfolhar o tempo
Beber a solidão
Mais amar, amar sempre.
(Rosi Alves)

O pescador...


Toda noite murmura com o mar
Através do silêncio
Chora a lua
Formando as estrelas.

Ele segue com sua rede
E sua solidão
Pois o pescador
Não tem pressa de peixe
Tem fome de amor.
(Rosi Alves)

Elas cantam em silêncio...


Guarde seu canto
Pro sol colorido
Pra esse azul bonito
Que a vida abençoou
As borboletas cantam
Diferente dos pássaros
Elas cantam em silêncio
(Rosi Alves)

Para achares o caminho
Acenda a luz do perdão
Da gratidão
Dos gestos de amor
Precipício são caminhos
De quem não sabe ofertar amor
 diante escuridão do céu.
(Rosi Alves)

23/04/2012

Dessa lágrima


Dessa lágrima
Cintilante
Apenas
A plenitude
Que emudece
O adeus.
(Rosi Alves)

Outono de emoções suaves...


Borde com delicadeza
As folhas que caem em teus versos
O outono é essa harmonia
De emoções suaves e raros perfumes.
(Rosi Alves)

No azul do outono


No azul do outono
Há um perfume
De folhas douradas
Inebriando a alma
Tingindo de sonhos
O caminho das flores.
(Rosi Alves)

Outono


Tu eras apenas um ideal
Não tinha forma;
Por que não procurava
As belezas desse mundo
E sim o florescer da alma.
(Rosi Alves)

18/04/2012

R.E.I.N.V.E.N.T.A.N.D.O

R.E.I.N.V.E.N.T.A.N.D.O
Estou me reinventando
Ou pelo menos tentando
Tenho vários mundos
Perdidos dentro de mim
Em uma órbita
De camadas tortas
Pés descalços
Coração alado
Embriagada
Em silêncios
Busco a essência de mim
Desilusões, decepções.
Reinvenções...
O caminho é seguir
Com um pouco de mim
De você em mim...
(Rosi Alves)

17/04/2012

Mais uma vez...

Mais uma vez... 

Mais uma vez vou declarar 
O amor que em mim se faz canção 
Com emoção vou sussurrar no seu ouvido 
Até você entender que é amor 

Mais uma vez vou esperar 
Suas palavras vagar pela solidão 
E como chuva de verão 
Ver-te passar... 

Mais uma vez 
Você não quer saber 
Nem entender que é amor 
Sem ter mais o que fazer 
Vou-me desfazer 
Do seu cheiro em mim 

Mais uma vez 
Só dessa vez 
Vou... Te esquecer 
Vou superar 
Mais uma vez.
(Rosi Alves)
 

06/04/2012

Em silêncio

Perdida
Em silêncio
Vejo-me
Sinto-me

Reencontro
Lembranças
No oco da alma

E lanço-me à sorte
Em que o amor
Seja ninho
Elo...
Ou apenas
Saudades...
(Rosi Alves)