27/04/2012

Surpreendi-me a ouvir-te cantar.



A tanto tempo
Não via
As luzes azuis
Que vão do céu
Ao chão
Em uma fração
A rasgar a janela
Do meu submundo
Em direção do vento
Só para os ver
Lavei o coração com mel
Retirei os lumes
Que me segavam
Nas marés
Os barcos se perdem
E as águas, fala-me por gestos.
Surpreendi-me a ouvir-te cantar.
(Rosi Alves)

Um comentário:

Dilmar Gomes disse...

Amei teu lindo poema, amiga Rosi.
Um abraço. Tenhas um lindo fim de semana.

Não força!

Tudo que é forçado é chato, é inconveniente. Ou ele (a) te ama ou não, a vida é assim apesar de a gente querer se apegar ao meio termo, no...