28/04/2012

Primaveras...

                                                                          
Há um jardim
Que encanta minhas noites
Um ébrio de tempestades
A enlouquecer meu corpo

A uma lucidez profana
Que me devora a alma
Enquanto a gente se ama

Surge assim... Rosas!
A perfumar nossos lençóis
Ao sentir o hálito quente
Nasce em mim todas as primaveras.
(Rosi Alves)

Nenhum comentário: