19/12/2011

Estranho amor...




Estranho amor
nasceu no findar do dia
abraçando a noite.

São tantas coisas pequenas
Que me levaram até você...

Seu olhar fixado em meus lábios
impossível não me perder.

Foram noites infindas de prazer
onde eu conheci além do amor...

Vem amor...
Sou tua âncora
Teu porto
Vem habitar em mim.


(Rosi Alves)

6 comentários:

JouElam disse...

Olá, amiga poeta! Tem um presente de Natal para você no Távola de Estrelas!Desejamos a você votos dum Natal muito Feliz e de um Ano Novo Maravilhoso!

beijos,

JouElam & Dani

Távola de Estrelas: http://jorgemanueledanieledallavecchia.blogspot.com/2011/12/um-selinho-pra-voce.html

Vera Lúcia disse...

Olá Rosi,
Bela poesia!

Vim desejar-lhe um lindo natal, repleto de amor, alegria e paz.

Que 2012 traga-lhe muito sucesso, realizações e felicidades!

SAÚDE E PAZ SEMPRE!

Beijos.

Concha Rousia disse...

Um poema-cais para o amor aportar e ancorar, certeza, parabéns poeta, e um abraço grande, Concha

Ricardo Miñana disse...

Hermoso poema,
estos días tan entrañables deseo pases unas felices fiestas.
un abrazo.

Everson Russo disse...

O amor quando chega assim, ao findar do dia, pode ser o acolhimento da paz de uma madrugada que promete...beijos de bom dia.

Vivian disse...

Olá,Rosi!!

É tudo o que queremos...que o amor habite em nós!!!Lindo querida!!!
Beijos pra ti!

*Deixo votos de um Feliz Natal!!!Que seja pleno de amor, paz e saúde!
Tudo de bom!

Não força!

Tudo que é forçado é chato, é inconveniente. Ou ele (a) te ama ou não, a vida é assim apesar de a gente querer se apegar ao meio termo, no...