09/06/2011

Ver-nos-emos um dia ...





Nos veremos sempre...
Na manhã que nasce
No findar da tarde
No renascer das flores
No cantar dos pássaros
Na solidão do silêncio
Na oscilação do vento
Na nostalgia de um verso
Mesmo frágil corpo cansado
Nesse tênue espaço terra
O meu amor procede eterno!


(Rosi Alves)

3 comentários:

Jeferson Cardoso disse...

Olá, Rosi! Muito gostoso estar aqui lendo mais um lindo poema e ouvindo boa música. Delícia! Vá ao meu blog brincar quando quiser. Sou do bem e de bem. Gosto de quem brinca comigo,,, [sorrio]

Rosi Alves... disse...

Oi poeta que prazer vou passar sempre Pois e um prazer ler o que escreve... eu também adoro quem brinca rsrsrsr

Bruno G. de Marins disse...

Obg por visitar meu blog e comentar lá.
Será um prazer tê-la na minha lista de
leitores, eu já estou te seguindo rs...

Beijão e parabéns por seu blog tbm;)