Gravitando...


As palavras estão quase tristes
Aqueceu o sol refletindo nas pedras.
as claves da minha saudade.
Como se bebessem os laços
Envoltas as tulipas.
Ver esse milagre (Flores)
Que há muito me encanta
Houve uma alucinação
Desfiando o sol
Gravitando, como pássaros!
No teu peito a candura
Que segue a rota do olhar.
(Rosi Alves)

Nostalgia...


Hoje, não há rosas.
Minha mão farta
Espera a nostalgia

Ave solitária que sou
Como quem mata sentimentos
Nesses versos inacabados.
(Rosi Alves)

Da noite...


Quando digo que ira anoitecer
Verte em mim a fronte das estrelas.
Resvalo por te querer.
A ternura é o brilho da vida.
Há nisto uma virtude
Um sopro ébrio
Um milagre.
(Rosi Alves)

Gosto de eternidade...


Coisas impossíveis
As que têm seu gosto
Na inquietude dos gestos
Viajo entre esse amor
Descanso, enfim, em ti.
Tenho ainda
Todo céu
Todo caminho
Mais preciso
Apenas da tua eternidade.
(Rosi Alves)

Da pele...Pela perda!


Sobra a pele o desejo
Falando de nós,
Nada novo Permanece...
Transcendemos constelações
Que selam os sentimentos
Na procura de outra noite.
(Rosi Alves)

Saudade...

Lançarei em ti, o orvalho,
o pecado que seduz meu corpo toda vez que te desejo.
Rosi Alves 

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images